Viver de um sonho com a Tocha na mão

Dec 26, 2012

Foi no dia 30 de Maio de 2012 que vivi uma das experiências mais intensas e marcantes da minha vida: transportei a tocha olímpica no país que acolheu calorosamente a edição de 2012, Inglaterra.

    No momento em que soube que tinha sido uma dos três portugueses escolhidos pela Samsung nem queria acreditar, fiquei eufórica e, não fosse o facto de estar numa biblioteca, teria pulado e gritado de alegria! Liguei de imediato à minha irmã a agradecer-lhe por ter escrito sobre mim no concurso, graças a ela concretizei um sonho de forma muito especial.

    Sou atleta, pratico marcha atlética há 3 anos e, como todos os atletas, sonho um dia chegar aos Jogos Olímpicos. Treino todos os dias e considero-me uma apaixonada pelo desporto, desde pequena que sempre estive ligada a diferentes modalidades. Olho para cada atleta olímpico como uma inspiração e como uma ambição de vida para mim.

    Em Inglaterra, tive a companhia do meu pai, da admirável senhora Presidente do Banco Alimentar Contra a Fome Isabel Jonet e de centenas de colaboradores da Samsung que estiveram sempre presentes da forma mais prestável encarregando-se de que viveria a magia do momento ao máximo. Fomos muito bem acolhidos num maravilhoso Palácio em Stoke on Trent, onde ficámos a dormir e tive oportunidade de conhecer outros torchbearers e fazer boas amizades dos diferentes cantos do mundo.

    O grande dia começou bem cedo, às 5 h saía do hotel em direcção ao ponto de encontro para seguir para Acrefair. Já na Llangollen Road, ao sair do autocarro com a tocha na mão, juntaram-se dezenas de pessoas à minha volta, todos quiseram tirar uma fotografia, todos apreciaram a tocha e me abordaram com muito carinho, fui recebida em festa num ambiente muito emotivo. Desde que soube que ia transportar a tocha que decidi fazer o percurso a marchar por ser a modalidade que pratico e porque tinha a certeza que nunca ninguém tinha pensado fazê-lo antes, quis mostrar que a marcha atlética é o que separa a corrida do caminhar e é igualmente simples desde que as pessoas estejam disponíveis para explorá-la, e assim foi. As reações foram várias, os seguranças que me rodeavam inicialmente não estavam a perceber o que fazia mas acabaram por experimentar também acompanhar-me da mesma forma, ao longo do percurso, para além de toda a euforia ouvi algumas expressões de admiração, espero ter deixado a minha marca na passagem da chama em Acrefair.

    No final da grande experiência ainda me aguardou uma magnífica surpresa: a Samsung ofereceu-me a tocha e posso tê-la comigo para partilhar este momento com todos os que receber na minha casa e, acima de tudo, cada vez que olho para ela recordar cada minuto que vivi intensamente em Inglaterra.

    Ao transportar a tocha conheci o outro lado dos Jogos que a maioria dos atletas acaba por não conhecer, vivi por dentro o calor da passagem da chama olímpica numa das várias terras britânicas, vi na cara das pessoas que me rodeavam a emoção de toda a comemoração dos Jogos. Nesse momento senti que eu e todas as pessoas que aguardaram a passagem da tocha fazíamos parte dos Jogos, essa é a grande magia: as Olimpíadas são muito para além duma grande competição, são o unir de todos os povos em torno da comemoração feliz e intensa da energia do desporto a nível mundial, o momento em que todos esquecemos os problemas e as guerras.

    O meu muito obrigada à Samsung por esta experiência única!

  • Filipa Ferreira