Introdução à SSD

Dec 05, 2011

Se as iniciais SSD não aceleram o seu ritmo cardíaco, é porque não tem acompanhado as mais recentes novidades tecnológicas. SSD significa “unidade de estado sólido”, uma reinvenção electrónica da unidade de disco rígido. E o seu computador quer uma.

Publicado: 16 de Setembro de 2010

Sem peças móveis

As máquinas com peças móveis acabam por avariar; é uma lei da natureza. As unidades de disco rígido antigas, com pratos giratórios, cabeças de leitura-gravação móveis e suportes magnéticos frágeis são um exemplo perfeito. Por isso, a mais recente tecnologia electrónica destina-se a substituir aquelas volumosas unidades de disco rígido por elegantes SSD—unidades de estado sólido que utilizam memória flash NAND não-volátil. Instalar uma SSD no seu computador é fácil, especialmente se escolher um vendedor que cria as suas SSD para utilizarem a mesma interface que uma unidade de disco rígido padrão e com as mesmas dimensões físicas.

Rápido é bom

As SSD acedem aos dados muito mais rápido do que as unidades de disco rígido padrão. Para profissionais ou alunos que utilizam um Netbook ou computador portátil, isso significa menos tempo à espera que o computador arranque ou que os dados fiquem disponíveis. E os utilizadores intensivos de computadores portáteis irão gostar de saber que as SSD utilizam muito menos amperes do que as unidades de disco rígido. Instale uma SSD e a bateria do seu computador portátil pode durar algumas horas a mais—o suficiente para concluir aquele relatório antes do avião aterrar.

Armazenamento seguro

Uma vez que as SSD não possuem peças móveis, têm uma grande vantagem sobre as unidades normais. Para começar, as SSD são mais resistentes aos choques e às vibrações do que as unidades de disco rígido, com menos potenciais pontos de avaria mecânica. Além disso, as SSD são silenciosas, o que as torna fantásticas para computadores em áreas de convívio. Por fim, utilizam menos energia e geram menos calor, por isso, não exigem ventoinhas.

Os compromissos

Obviamente, as SSD ainda são mais caras, gigabyte por gigabyte, do que as unidades de disco rígido padrão. E embora uma SSD nova possa oferecer velocidades estonteantes, com o decorrer do tempo o seu desempenho pode deteriorar, dependendo da forma como utiliza a unidade e da forma como o seu sistema operativo gere gravações para a memória. Além disso, os modelos mais baratos são substancialmente mais lentos do que os dispositivos SSD topo de gama. E a maioria das vezes, as SSD limitam-no a capacidades de armazenamento muito mais pequenas do que as unidades de disco rígido convencionais – pelo menos para já.

Resumindo e concluindo

Os preços das SSD estão a baixar rapidamente à medida que os sistemas operativos (particularmente o Windows 7) tiram partido das suas velocidades potencialmente superiores. Isso significa que a melhor altura de instalar uma no seu computador é agora.