Fotografia

Capte a Galáxia
#withGalaxy

Dicas e truques para transformar a sua fotografia da Via Láctea numa obra-prima.

Escultura de uma lua, apoiada por colunas contra um céu noturno estrelado durante o pôr do sol Escultura de uma lua, apoiada por colunas contra um céu noturno estrelado durante o pôr do sol

O verão é o momento mais popular para tirar fotografias das estrelas. Mas se habitualmente acaba com fotografias do céu noturno que são mais desfocadas do que de tirar o fôlego, não está sozinho. Captar a grandeza da Via Láctea pode ser difícil, mas com o equipamento certo e as nossas dicas, pode aprender a tirar fotografias das estrelas sempre com resultados brilhantes.

Um céu escuro estrelado num campo com geradores de energia eólica ao longe em Gyeongsangbuk-do Um céu escuro estrelado num campo com geradores de energia eólica ao longe em Gyeongsangbuk-do

Antes de começar

Primeiro, aproveite um momento para pensar no que quer captar, além da Via Láctea propriamente dita. O que irá ser o seu plano frontal? Quer apanhar a Via Láctea baixa no céu, alta no céu ou atravessando-o na diagonal? Obter a fotografia certa da Via Láctea não é tanto uma questão de enquadramento como de aproveitar o momento certo.

Uma vista da via láctea no céu noturno Uma vista da via láctea no céu noturno

Sair da rede

Para dominar realmente a fotografia do céu noturno, é preferível disparar afastado da poluição luminosa existente nas cidades e vilas grandes. Quanto mais remoto, melhor

A seguir, considere que tipo de plano frontal pretende — afinal, se estiver a fotografar ao nível do solo do planeta Terra, provavelmente haverá mais qualquer coisa na fotografia. Por exemplo, há algumas peças de arquitetura marcantes, formações rochosas notáveis ou árvores altas por perto? Procure elementos que acrescentem interesse quando é vista a sua silhueta contra um céu estrelado.

O timing é tudo

O momento em que dispara é tão importante como o local de onde dispara. A hora da noite e a altura do ano influenciam fortemente o modo como a Via Láctea aparece na sua fotografia. Embora a nossa galáxia esteja literalmente sempre visível no céu noturno (afinal, estamos sentados no meio dele), aquilo a que normalmente nos referimos como “Via Láctea” é realmente o seu núcleo galáctico, que só pode ser visto de fevereiro a novembro. Uma vez que a sua orientação no céu muda ao longo desse tempo, captá-la exatamente onde quer no céu noturno requer algum planeamento.

Felizmente, há aplicações que podem ajudá-lo a determinar o tipo de fotografia que quer e o melhor momento e local para a obter. PhotoPills tem uma prática funcionalidade noturna chamada Night AR que mapeia o núcleo galáctico no seu céu atual com base em quando planeia disparar. Mesmo uma simples aplicação de bússola como a do Galaxy S20 e Galaxy Watch Active2 pode melhorar a sua experiência de fotografia de paisagem de estrelas.

Um diagrama mostra as fases da lua, de cheia a nova e novamente até cheia Um diagrama mostra as fases da lua, de cheia a nova e novamente até cheia

Outra consideração a ter em mente? A lua. A não ser que a queira especificamente na sua fotografia, tente fotografar numa noite de lua nova. Uma vez que o brilho da lua pode diminuir o brilho de uma constelação, quanto menos luz da lua tiver, melhor.

Fotografia de exposição longa das estrelas no céu noturno, formando um padrão circular que preenche o céu. Há seis geradores de energia eólica no plano frontal virados para a esquerda. Fotografia de exposição longa das estrelas no céu noturno, formando um padrão circular que preenche o céu. Há seis geradores de energia eólica no plano frontal virados para a esquerda.
DICA
Há mais coisas por descobrir além das estrelas — mesmo exatamente onde está. Descubra como captar mais do mundo ao seu redor.

Maximize os seus megapixels

Evidentemente, nem todo o planeamento do mundo ajuda se não tiver o equipamento certo. Equipe-se com um smartphone concebido para tirar fotografias com a máxima resolução possível. O Galaxy S20 Ultra faz caber uma quantidade espantosa de píxeis no seu bolso.

Quando está lá

4
Fotografia de céu noturno que mostra os efeitos do tempo de exposição longo comparativamente ao céu noturno que se move lentamente. As estrelas foram captadas ao longo dos seus percursos noturnos pelo céu num tempo de exposição longo, dando um efeito de halo radiante. Existem pinheiros no plano frontal. Fotografia de céu noturno que mostra os efeitos do tempo de exposição longo comparativamente ao céu noturno que se move lentamente. As estrelas foram captadas ao longo dos seus percursos noturnos pelo céu num tempo de exposição longo, dando um efeito de halo radiante. Existem pinheiros no plano frontal.
Um telefone Galaxy S20. No visor há opções de guardar apresentadas com "Guardar cópias RAW" selecionadas. Um telefone Galaxy S20. No visor há opções de guardar apresentadas com "Guardar cópias RAW" selecionadas.
DICA
É fácil certificar-se de que todas as fotos são guardadas como RAW ao usar o Modo Pro no Galaxy S20 Ultra. Vá às Definições (ícone de roda dentada) e selecione "Guardar cópias RAW"

Fazê-lo pela foto

Finalmente, a parte divertida: editar e publicar. Enquanto está a fotografar, certifique-se de que guarda as suas fotos como ficheiros de tipo RAW. Poderá ajustar ficheiros JPG ou PNG, mas o resultado nem se compara ao das capacidades de edição que um ficheiro de tipo RAW proporciona.

Depois publique o resultado do seu árduo trabalho e veja o que o mundo pensa! Esteja também à vontade para nos mencionar em tags — adoraríamos ver o resultado do seu trabalho.

*Fotografia tirada no Galaxy S20 Ultra; foram ajustados pequenos detalhes como o equilíbrio dos brancos, contraste e brilho.

Pronto para a explosão? 

Conheça melhor a galáxia vendo-a através de um Galaxy.

Leia estas histórias a seguir