Bem-estar

Primeiros telefones das crianças:
4 Regras que os pais devem seguir

Como manter as crianças seguras de perigos online (e, já agora, construir uma relação de confiança).

Uma ilustração de banda desenhada de um rapaz a segurar o seu smartphone chocado, enquanto a mãe e o pai parecem acenar e monitorizar a sua atividade, segurando uma lupa e binóculos. Uma ilustração de banda desenhada de um rapaz a segurar o seu smartphone chocado, enquanto a mãe e o pai parecem acenar e monitorizar a sua atividade, segurando uma lupa e binóculos.

O primeiro telemóvel do seu filho é um grande momento. Para as crianças, abre o seu mundo a ligações diretas com amigos, socializando com pessoas que pensam da mesma forma e mantendo-se a par da escola, no seu próprio equipamento. Para si, abre a porta a novas preocupações tempo excessivo no ecrã, uso inapropriado de redes sociais e bem-estar digital em geral. Felizmente, há aqui um meio termo feliz. Com a orientação certa, os pais podem ensinar bons hábitos digitais e proteger os seus filhos da maioria dos perigos que espreitam online, construindo ao mesmo tempo uma relação de confiança. Aqui está o seu guia.

Um pai a comunicar com as mãos com a sua filha pequena, ambos sentados num sofá cinzento. Um pai a comunicar com as mãos com a sua filha pequena, ambos sentados num sofá cinzento.
1

Definir regras básicas

Os hábitos online saudáveis devem começar muito antes de lhe entregar aquele primeiro smartphone. Fale com o seu filho sobre uma utilização saudável da Internet cedo e com frequência, começando uma conversa em curso quando são pequenos e usam a Internet pela primeira vez. Um contrato familiar sobre a Internet que define as regras de comportamento para todos os membros da casa é uma forma eficaz de o tornar explícito. Discutam as regras em família, depois escrevam-nas e assinem todos o acordo. Isto irá ajudar as crianças a sentirem-se mais responsáveis — e aumentar as probabilidades de seguirem essas regras.

Um rapaz novo, olhando para baixo e navegando num tablet preto sentado sobre uma secretária numa garagem. Um rapaz novo, olhando para baixo e navegando num tablet preto sentado sobre uma secretária numa garagem.
2

Considere uma mistura de software e hardware

A maneira mais fácil de manter limites no comportamento digital das crianças é através de software, que o ajuda a gerir o conteúdo a que o seu filho pode ter acesso e quanta da sua presença online consegue ver. Não deixe de verificar se a aplicação é protegida por palavra-passe e/ou pode ser controlada por um dispositivo, o que pode fazer com que seja um pouco mais difícil para as crianças contornarem. Instalar controlos parentais diretamente no hardware é uma medida mais simples de filtrar conteúdo inapropriado no sentido descendente. Também pode ser bastante invasivo, porque alguns destes controlos de hardware leem o histórico de Internet de qualquer pessoa que entre na rede. É por isso que a melhor estratégia para muitos pais envolve uma combinação de controlos de software e hardware. Pode sempre começar a sua supervisão com uma aplicação e ir avaliando se são necessárias restrições mais apertadas antes de juntar o hardware.

Prático e fiável

Antes de escolher um sistema de controlo parental, comece por um equipamento que esteja preparado para manter a sua família segura. Um telefone como o Galaxy A51 tem segurança integrada em todos os aspetos do seu design, salvaguardando os dados privados com proteção de hardware e o sistema de segurança Knox. Além disso, com uma bateria duradoura e um ecrã de 6,7 polegadas, os seus filhos podem usufruir de uma navegação segura sem terem de carregar frequentemente.

Um rapaz a segurar e a olhar para um smartphone Galaxy preto. Está sentado na sua cama num quarto. Um rapaz a segurar e a olhar para um smartphone Galaxy preto. Está sentado na sua cama num quarto.
Logótipo de um escudo que representa o Samsung Knox Logótipo de um escudo que representa o Samsung Knox
Protegido por Knox
Acrescente outra camada de segurança à atividade do seu filho na Internet através de um aparelho protegido por Knox.
3

Personalize o acesso ao seu filho

O método de abordagem que funciona melhor irá variar, dependendo de cada família. Por exemplo, se o seu filho tem dificuldade com o tempo no ecrã e autocontrolo, pode querer comparar diferentes aplicações de controlo parental que podem ajudar a encorajá-los a fazer um intervalo do ecrã. Para crianças pequenas, ativar uma pesquisa segura e bloquear websites inapropriados em todos os dispositivos partilhados é crucial para proteger crianças pequenas de conteúdo problemático. Quando o seu filho tiver idade suficiente para usar redes sociais, sinta-se à vontade para alargar os privilégios online em conformidade.

Um pai e a sua jovem filha sentam-se lado a lado à frente de um sofá preto. O pai observa enquanto a sua filha usa um tablet Galaxy cinzento. Um pai e a sua jovem filha sentam-se lado a lado à frente de um sofá preto. O pai observa enquanto a sua filha usa um tablet Galaxy cinzento.
4

Seja um participante ativo

Como em todos os aspetos relacionados com a educação dos filhos, o envolvimento parental é fundamental. No que diz respeito à educação online, isso significa que não pode permitir que o software faça o seu trabalho. Por fim, a chave para um controlo eficaz resume-se à regra de ouro para qualquer relacionamento: prestar atenção e manter um diálogo aberto.

Proporcione ao seu filho uma segurança preparada para o futuro

Ajude os seus filhos a evitarem os perigos da Internet através de equipamentos em que pode confiar.

Leia estas histórias a seguir